Mega coquetel explosivo ” Faça uma combinação que vai ampliar seus resultados”

Publicado: janeiro 18, 2011 em Caminhos da nutrição, Caminhos para os suplementos, Siga os caminhos

Saber o que e quando combinar?

Quando vamos as academias a ânsia por conseguir resultados rápidos faz parte da mente de muitos. Sabemos que nosso organismo é diferente de cada um, e que a velocidade de ganho ou perda varia bastante de indivíduo.

Hoje temos um aliado ao nosso lado, a suplementação vem para auxiliar organismos preguiçosos que penam para perder peso, ou que não conseguem de forma alguma desenvolver massa muscular. A importância de uma combinação de suplementos que consiga fazer com que nossos resultados apareçam e não prejudique nossa saúde é tudo o que você precisa.

A Equipe Mapa da Nutrição, irá dar um guia de algumas combinações e coquetéis que possam vir a se encaixar na sua dieta, e que se adaptem ao seu organismo trazendo otimos resultados.

Primeiramente precisamos saber qual será o objetivo almejado:

-Perda de peso

-Ganho de massa muscular magra

-Manutenção do peso, e ganho de definição

-Aumento de força e resistência

-Resultados rápidos de ganho e explosão dos músculos

Aumento de força, resistência e volume muscular

São muitos os componentes e suplementos que iram promover esses resultados, hoje no mercado os mais conhecidos e consumidos são os chamados NO2 ou Óxido Nítrico, a famosa creatina mono hidratada, os estimulantes de testosterona como zma, tribulus, HmBeta, e os Packs que são composto de aminoácidos em alta concentração como Animal Pak, Monster Nitro Pack e Mega Pack.

Creatina Monohidratada:  Formado por 3 diferentes tipo de aminoácidos, pode ser encontrado em abundância em carnes vermelhas e peixes. Ela é responsável pela maior parte da energia exercida pelos músculos e pode ser armazenadas em abundância no tecido muscular. Rápida liberação de energia, e produz mais força durante mais tempo em exercícios com peso.

 

Muitos falam da retenção hídrica que a creatina causa no músculo, fazendo ele inchar e aumentar de tamanho muito rápido, porém não é bem que funciona. Nossa musculatura é composta basicamente de água (70~75%) e proteína ( 10~15%), quando o músculo armazena doses extras de creatina, há mais combustível reservados para exercícios extensos que podem resultar em aumentos significativos de energia, esta quantidade de creatina armazenada também eleva a quantidade de água no músculo, e isto promove um fenômeno chamado volumização das células ou hidratação intracelular. Quando a água entra no músculo, ela cria um ambiente muito mais propício, para o desenvolvimento de novas células musculares e o aumento dessas, pois a água leva para dentro dessas células muitos nutrientes, como vitaminas, proteínas, aminoácidos etc.

COMO TOMA-LA?

Ainda não existe um relato que comprove a verdadeira forma de se tomar a creatina, muitas pessoas utilizam durante a primeira semana ” fase de saturação”  3 g três vezes ao dia ( manha, tarde e noite), e a partir da semana seguinte somente 3 g antes da atividade física.

Uma forma muito utilizada também é uma dose 3 g com malto dextrina ou dextrose, que auxiliariam em sua absorção ( o que ainda também não é comprovado ), e 3 g pós treinamento.

 

EFEITOS COLATERAIS?

Este é um fato hoje também muito discutido, a creatina na fase em que se encontrava proibida pela ANVISA ( Agência de Vigilância Sanitária) dizia-se  que sua ingestão por um tempo prolongado fazia com que seu corpo automaticamente entendesse que não haveria necessidade de auto produção dela e isso prejudicaria sua saúde. Muito se falava também que a creatina em quantidades altas no corpo causaria o cálculo renal, que nada mais é do que cristais que se formam nos rins por não haver quantidade de água necessária para filtrar os aminoácidos, e outros nutrientes que foram excretados pelo organismo.

Hoje com a sua liberação, muitos outros estudos foram feitos em cima da creatina, e nada ainda foi completamente provado. Mas o fato da ANVISA ter liberado sua comercialização, prova que os efeitos colaterais que ela pode trazer são mínimos, ou até nulos.

COMPONESTES ESTIMULANTES

Betaína: aumenta os níveis de produção de creatina no organismo. Pode ser encontrada em produtos industrializados como o Cell- Tech da Muscle Tech.

Ácido alfa-lipoico (ALA): Antioxidante, estimula a emissão da insulina quando combinado a um carboidrato. Quando a creatina é combinada com carboidrato de rápida absorção e o ALA diz estudos que há o melhoramento na absorção da creatina pelo músculo do que somente com o carboidrato. Ingerir de  300 a 1.000 mg junto com a dose de creatina após os treinos.

 

Óxido Nítrico ( NO2) : A síntese ou produção de NO se realiza pela ação de uma enzima chamada óxido nítrico sintetase (NOS), a partir de um aminoácido conhecido por L- Arginina.

Este NO é um dos principais suplementos para alcançar o aumento da força e da resistência. Este composto exerce uma função que ocorre no corpo chamado VASODILATAÇÃO, aumentando o fluxo ou passagem do sangue nos músculos. O NO2 proporciona um relaxamento na musculatura das veias, fazendo com que tenham uma maior dilatação e aumentando o fluxo sanguíneo, isto proporciona ao músculo um recebimento maior de oxigênio e nutrientes, assim o músculo mais ”alimentado” terá mais força e energia durante a atividade.

Alguns relatos também trazem a informação do aumento no aporte de hormônios como testosterona e Gh ( hormônio do crescimento), favorecendo o aumento da massa muscular, e a diminuição da gordura corporal.

COMPONENTES CATALIZADORES E AMPLIFICADORES

Arginina: Aumento do NO2 no corpo. Consumir de 3 a 5 gramas de manhã, 30 a 60 minutos antes do treino e 30 a 60 minutos antes de dormir em jejum.

Pycnogenol: Ingrediente ativo da casca de pinheiros originários da floresta de Landes, aumenta a atividade do óxido nítrico. Consumir de 50 a 100 mg junto com a arginina. Pode ser manipulado.

Ginko Biloba: Reduz a viscosidade das plaquetas e permitem o aumento do fluxo sanguíneo para os músculos e para o cérebro. Ingerir de 40 a 80 mg junto com arginina.

EFEITOS COLATERAIS

Os efeitos promovidos pela arginina trazendo o aumento do bombeamento do sangue, para indivíduos que já tenham uma pré disposição, ou que já apresentam casos de pressão arterial, é indicado que passem em um especialista antes do consumo da mesma. Essa vasodilatação acontece principalmente nos músculos exercitados, porém como existe veias e artérias por todo nosso corpo, pode trazer casos de dores de cabeça e enxaquecas prolongadas.

HMB ( BETA-HYDROXY BETA- METHYLBUTYRATE): Metabólito do aminoácido de cadeia ramificada LEUCINA que têm ocorrência natural em alimentos do reino animal e vegetal. O HMB também é produzido pelo nosso corpo, sendo que varia de 0,1 a 1 grama dependendo da dieta.

 

Em 1995 na conferência do Colégio Americano de Medicina do Esporte em Minneapolis, demonstrou que o uso do HMB causa grande aumento de força e volume muscular e é tido como um poderoso anticatabólico, pois tem a capacidade de suprimir a quebra das proteínas e acelerar a recuperação do tecido muscular degradado por exercícios físicos intensos. O HMB também tem uma ação que leva o indivíduo a ter uma diminuição gradual na gordura corporal.

 

COMO TOMAR?

O uso diário recomendado é de 2000 mg para pessoas que pesam menos de 90kg e 3000 mg para pessoas com peso superior a 90kg. O período máximo de sua utilização em testes é de 8 semanas, não havendo mais informações sobre dosagens e os resultados do uso de HMB após este período.

EFEITOS COLATERAIS?

Até o momento nenhum relato de efeito colateral foi relatado ou documentado pela ingestão de HMB.

ONDE ENCONTRAR?

Fontes naturais:  Milho, frutas cítricas e alguns peixes tem altas quantidades de leucina. HMB como suplemento já é encontrado em casas de suplementação das marcas registradas pela ANVISA : Arnold Nutrition e MIlly .

Os outros pontos abordados no início do post terão continuidade em outro texto. Aguardem e prossigam a leitura é MUITO IMPORTANTE para que possam obter os resultados esperados.

 

Referências Bibliográficas

NETO, Waldemar M. G. Anabolismo Total. Editora: phorte e editora ltda.São Paulo, 2003.

MCARDLE, William D. et  al. Fisiologia do Exercício ,  Energia, Nutrição e Desempenho Humano. 5.ed.Rio de Janeiro.Guanabara Koogan, 2001.

NUMERIANO, Rogério.Creatina [internet].São Paulo.Disponível em: http://www.creatina.com.br/.Acessado em : 19/01/2011.

MENDES Renata Rebello, TIRAPEGUI, Julio. Creatina : o suplemento nutricional para atividade física -Conceitos atuais [Internet].São Paulo.Faculdade de Ciências Famacêuticas – Universidade de São Paulo. Disponível em : http://www.scielo.org.ve/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-06222002000200001&lang=pt. Acessado em: 18/01/2011.

CAMPOS, Maurício de Arruda.Suplementos e aprendizado na combinação exata para melhores resultados. Super Treino musculação e fitness. 45 ed. São Paulo, 2010. p. 32-38.

Equipe Mapa da Nutrição, sua orientação para um mundo novo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s